Pedro Meira Monteiro, Chairman do Departamento de Espanhol e Português da Princenton University*

No fim de julho, eu e dois colegas de Princeton visitamos a Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Estivemos em dois de seus campi – Itabuna e Porto Seguro – e em alguns dos inúmeros galhos que a universidade cultiva na região. São colégios universitários como o de Coaraci e escolas como o CIEPS (Complexo Integrado de Educação de Porto Seguro). Isso sem contar a presença da universidade em aldeias indígenas como a dos pataxós, que visitamos em Porto Seguro, ou o assentamento Terra Vista, em Arataca.

Leia mais...

 

Isaac Roitman, professor emérito da Universidade de Brasília e presidente da Comissão do Movimento 2022: "O Brasil que queremos", escreve para o Blog da Política Brasileira*

 

No dia 21 de agosto a mídia exibiu o fenômeno astronômico que foi batizado como a eclipse do século. A eclipse solar é um fenômeno que ocorre quando a Lua se interpõe entre a Terra e o Sol. Nos Estados Unidos a escuridão em pleno dia se estendeu desde o Oregon até a Carolina do Sul e teve seu auge nos estados do Missouri e Kentucky, um fato que aconteceu pela última vez em 08 de junho de 1918.

Leia mais...

Mozart Neves* 

Membro do Conselho Consultivo do 2022 

 

Um dos grandes desafios de nosso país é alinhar o desenvolvimento econômico ao social. Isso é fundamental para que tenhamos de fato um Brasil mais justo e de oportunidades similares para todos. Essa questão pode ser evidenciada quando olhamos nossas posições do Produto Interno Bruto (PIB) e do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no ranking mundial. Com relação ao primeiro indicador, que representa a soma (em valores monetários) de todos os bens e serviços finais produzidos, o Brasil ocupa a 9ª posição, enquanto o seu IDH encontra-se na 79ª posição.

Leia mais...

Dioclécio Campos Junior* 

Membro do Conselho Consultivo do 2022 

 

A universalização de hábitos e condições de vida expande-se no Planeta graças aos progressos alcançados no âmbito da tecnologia. As fronteiras vão perdendo sentido. As diferentes etnias ganham convivência, adquirindo paulatinamente o comportamento unificador oriundo de uma sociedade multicultural. Cresce a livre circulação de pessoas e mercadorias, globalizando direitos e deveres, além de princípios morais e éticos. É a decisiva travessia rumo à civilização autenticamente humana.  As resistências são fortes, mas vão sendo pouco a pouco superadas.

Leia mais...

Isaac Roitman, professor emérito da Universidade de Brasília e presidente da Comissão do Movimento 2022: "O Brasil que queremos", escreve para o Blog da Política Brasileira*

 

Educar no sentido mais amplo é capacitar o ser humano para um convívio social harmonioso. Em outras palavras é desenvolver e aperfeiçoar as competências físicas, intelectuais e morais, preparando o cidadão para a vida. O processo educacional é baseado em 3 pilares: a família, a escola e a mídia.

Leia mais...