2022: Visão de Contexto

O programa vai ao ar toda quinta-feira, às 22h, na TV SUPREN, canal 2 da NET em Brasília

Em julho de 2019, o programa 2022: O Brasil que queremos contou com a presença de três convidados: Carlos Benedito Campos Martins, professor titular no Departamento de Sociologia da UnB; Denise Oliveira e Silva, pesquisadora titular em saúde pública da FIOCRUZ; e Márcia Hora Acioli, assessora política do Instituto de Estudos Sócio-Econômicos (Inesc).

O professor Carlos Benedito Campos Martins falou sobre sua formação, o papel da PUC durante a ditadura militar no Brasil e sobre a necessidade de coordenar melhor a integração da graduação e da pós-graduação. Ele lembrou que a renovação do ensino também se faz com a presença de alunos estrangeiros. “A universidade tem, entre as suas atividades de ensino e de pesquisa, uma função social que é muito importante: promover a qualidade do ensino médio e ensino fundamental. Acho que a universidade tem que estar mais presente, acho que o ensino médio, hoje no Brasil, passa por desafios importantes na questão da formação dos professores, questão do salário do professor… acho que são áreas e níveis de ensino que precisam melhorar a sua qualidade”, defendeu. Ele também falou sobre como a sociologia ajuda a compreender o mundo a volta, sendo fundamental na construção da consciência das pessoas. 

No bate-papo com Denise Oliveira e Silva, a pauta foi a formação da convidada e a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra em Comunidades Quilombolas. Ela explicou o contexto do seu amadurecimento com o trabalho. “Nestes 32 anos, eu sempre trabalhei com o fenômeno da fome, miséria e da pobreza. A FIOCRUZ está numa área da zona Norte do Rio de Janeiro, cercada por diversas favelas, no bairro de Manguinhos, e é ali que eu aprendi tudo, e ali que vai consolidar aspectos que foram marcantes na minha vida”, afirmou. A pesquisadora também argumentou que a problemática da segurança nutricional vai muito além dos aspectos biológicos, e contou como sua história contribuiu de forma muito ativa no desenvolvimento de sua carreira na academia e no trabalho como pesquisadora.

Márcia Hora Acioli iniciou a entrevista contando sobre a sua formação em artes e educação, e também trouxe detalhes sobre suas atividades antes de trabalhar no Inesc. Ela abordou como escolheu focar em promoção de cidadania ao invés de se manter no discurso simplificado de tirar crianças da rua, ressignificando o significado de ir para a rua. Sobre seu trabalho, Márcia disse que “o Inesc é uma instituição que luta pela Democracia e pelos Direitos Humanos. Dentro dessa perspectiva, o Inesc tem se dedicado de maneira muito especial ao estudo do orçamento público, tendo o orçamento como uma estratégia fundamental para a conquista de direitos”, definiu. A convidada também refletiu sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e as políticas públicas de proteção integral das crianças e adolescentes.  

Para assistir às entrevistas na íntegra, acesse o canal da TV SUPREN no YouTube: TVSuprenBrasília, ou na Aba “Videoteca”, deste site. Todo mês novas participações e novos temas são disponibilizados. Acompanhe-nos online e fique por dentro das novidades do programa 2022: O Brasil que Queremos.

Deixe um comentário